Siaesp, Apro e Sindcine apresentam Protocolo de Segurança e Saúde no Trabalho Audiovisual

Em coletiva de imprensa virtual, as presidentes das entidades detalharam o plano de retomada das atividades presenciais no audiovisual

11/06/2020

Marianna Souza, André Sturm, Simoni de Mendonça e Sonia Santana participam da apresentação e

assinatura do protocolo de segurança e saúde no trabalho do audiovisual (Foto: Adriane Freitag)

As presidentes da APRO, do SIAESP e do SINDCINE, Marianna Souza, Simoni de Mendonça e Sonia Santana, respectivamente, se reuniram nessa quinta-feira na Fiesp para assinar e apresentar o Protocolo de Segurança e Saúde no Trabalho Audiovisual durante uma coletiva de imprensa virtual.

O documento oficial, que contou com a colaboração das mais relevantes entidades do setor, foi enviado à Prefeitura para análise das autoridades de segurança e sanitárias e aguarda liberação. “O objetivo é preparar toda a categoria para o momento de retomada das atividades de forma segura, viável e responsável, tendo como foco a preservação da saúde e a vida dos profissionais”, explica Simoni de Mendonça.

Quem conduziu o encontro virtual foi André Sturm, empresário do setor. As presidentes das entidades detalharam o processo de construção do documento, os pilares em que se basearam e apresentaram as fases de abertura, de produção e a retomada presencial dos escritórios.

“A versão apresentada foi a submetida para a prefeitura. Estamos falando sobre um documento vivo, que deve passar por constantes alterações para se tornar adequado conforme evolução das fases. Nossa proposta foi muito bem pensada e muito estudada, mas claro que a prefeitura pode sugerir algumas mudanças, por isso não podemos considerar a versão final”, comenta Marianna Souza.

 

O grupo de trabalho responsável pela elaboração do documento estudou protocolos de países como Estados Unidos, México, Uruguai, Portugal, Espanha e Nova Zelândia, para reunir as melhores práticas no planejamento da retomada. O SINDCINE e as associações de técnicos do audiovisual elaboraram procedimentos detalhados para garantir a segurança nos sets de filmagem. Além disso, foram consultados profissionais da área da saúde que orientaram sobre as medidas preventivas e o uso adequado dos equipamentos de proteção de individuais (EPIs) e dos equipamentos de proteção coletivos (EPCs). Baseados nas informações e seguindo as orientações das autoridades municipal, estadual e federal, foi estabelecido um plano de retomada gradual, dividido nas fases 1, 2 e 3.

A Fase 1, diz respeito à medida do poder público mais restritivo (distanciamento, isolamento social ou lockdown), em que serão permitidas apenas filmagens remotas, com deslocamento mínimo de equipe. A Fase 2 é momento intermediário de flexibilização das medidas restritivas e que entrará em vigor apenas quando as autoridades sanitárias permitirem a retomada das atividades do setor. Já a Fase 3 será desenvolvida a partir das experiências da Fase 2.

O protocolo seguiu os pilares de distanciamento, higienização, desinfecção, comunicação e monitoramento e a proposta é que ele seja um documento único e de referência para todos os envolvidos na indústria na audiovisual.

“Nossa maior preocupação é garantir a integridade física dos profissionais do audiovisual. Por isso, nosso plano foi bastante estudado, pensado e debatido. Estamos vivenciando um momento único e desafiador. Os profissionais e a indústria estão extremamente vulneráveis”, afirma Sonia Santana.

Para ter acesso ao documento na íntegra acesse o link.

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário